quarta-feira, fevereiro 27, 2008

Nazismo, fascismo, racismo

Nazismo, fascismo, racismo.
Maria Amélia Salgado Loureiro (coordenadora)
Qual a opinião do Integralismo sobre nazismo, fascismo e racismo?
O nazismo, isto é, o nacional-socialismo, conforme seu nome indica, é um misto do socialismo de Marx e do nacionalismo de Bluntschili, cuja doutrina identifica a Nação com o Estado. Entram na composição do nazismo ainda o pensamento de Nietzsche, que engendrou o Super-Homem e pregou a violência, assim, como as idéias racistas de Houston Chamberlain e Gobineau. Transferindo a idéia do Super-Homem de Nietzsche para a Super-Raça, o nazismo identificou esta com o Estado absorvente, totalitário, belicoso, conquistador e opressor. É uma doutrina condenável que foi, deste o começo, reprovada pelo Integralismo, como se vê na famosa "Carta de Natal e Fim de Ano", de Plínio Salgado, publicada em 1935.
E fascismo?
Quanto ao fascismo, o Integralismo o considera um regime de circunstância, aparecido na Itália no momento em que o comunismo avançava assustadoramente, ameaçando a integridade daquela Nação. Não tinha uma doutrina fixa como o nazismo. Uma vez no poder organizou o Estado baseado no corporativismo católico, absorvendo o partido cristão de D. Stulzo, no nacionalismo pregado pelo partido desse nome e tradições históricas do povo italiano e seus ancestrais romanos. Tentou debalde dar ao movimento um conteúdo filosófico, por esforço de alguns intelectuais como Giovanni Gentile, mas o sentido político do regime foi pragmático, mais se preocupando com as realizações administrativas.
Então o fascismo pode ser aceitável?
Não. O fascismo não é aceitável por ser um regime que suprime a liberdade individual e elimina a representação política, pois as corporações não tinham no fascismo senão uma função econômica e a Câmara fascista não passava de um órgão constituído pelas listas do partido único, não havendo, portanto, circulação livre da opinião popular.
O Integralismo é anti-racista?
Evidentemente. A declaração a tal respeito se encontra no Manifesto de Outubro de 1932, em seu Capítulo 4º. Seria ridículo que em nosso País, onde somos o resultado de um conjunto de raças - índios, pretos, europeus e asiáticos - adotássemos qualquer preconceito racial. Além do mais, o integralismo é Cristão e Cristo pregou a confraternização de todos os povos e raças.
(Excertos do Livro Coordenado por Maria Amélia Salgado Loureiro, “O Integralismo. Síntese do Pensamento Político Doutrinário de Plínio Salgado” – São Paulo – Voz do Oeste – 1981 – 80 págs. – il.; págs. 37, 38 e 39)

6 comentários:

nomadus disse...

Sergio, não querendo ser piegas, nem tão pouco pragmático, mas da uma corrigida na palavra "preto" no final deste artigo. Alguém pode achar errado. No mais muito bom o artigo, deixa bem claro que nós não temos nada à ver com os facistas nem os nazistas. Anauê"

Sérgio de Vasconcellos disse...

Prezado Nomadus.
Agradeço a sugestão, mas, não posso segui-la, pois, significaria adulterar o Texto. A Autora escreveu como está lá, não posso mudar um Texto que não é meu.
Pelo Bem do Brasil!
Anauê!
Sérgio de Vasconcellos.

José disse...

CARLITO
São Questões Culturais, no Brasil nos referimos Negro (s) quando dizemos preto (s) se torna Ofensivo, nos EUA é o Contrario!!!

Daniel disse...

Integralismo é uma piada mesmo. O pior é ler uma frase como essa "Além do mais, o integralismo é Cristão e Cristo pregou a confraternização de todos os povos e raças."
Vocês vivem em que mundo??? Pegue por exemplo o regime cristão Ustasha. Já ouviu falar de Jasenovac?

Falta de estudo forma esse tipo de pessoa que tenta se assemelhar a sombra do nazismo,até a vestimento se assemelha, então nem comentemos a saudação.

Pegar a declaração da filha e usar como exemplo é tenso...

João Paulo disse...

daniel
o integralismo n tem nada haver com o nazismo e a propria filha do chefe plinio salgado mesmo disse
leia mais sobre o integralismo

Breno disse...

Realmente concordo com o texto.
Não somos Filo ou Nazi Fascistas por tanto temos os nossos direitos.
Anauê.
Breno costa.